Azores Adventures – Futurismo

Voltar à tabela de conteúdos

Ilha das Flores

Esta pequena ilha surge da paz do sossego. Coberta por uma vegetação aveludada, envolverá sua alma em tranquilidade e com vistas fascinantes do oceano.

Um dos locais mais bonitos para se explorar, com segredos do mar por desvendar, como a única reserva voluntária da Garoupa Negra de Portugal.

Sobre Ilha das Flores

Entre o azul e o verde, a ilha das Flores é cheia de surpresas e paisagens de cortar o fôlego. Muitos viajantes, que já tiveram a sorte de a conhecer, dizem que é um verdadeiro mergulho na natureza. E não é para menos! A ilha das Flores é conhecida como a ilha das cascatas. Prepare-se para encontrar piscinas naturais de água transparente e uma diversidade incrível de vida marinha.

Tem sido descrita como uma versão mais pequena da Irlanda ou da Suíça, pelas suas belas paisagens. Mas garantimos-lhe que é 100% única. Entre colinas verdejantes, lagoas selvagens e enormes cascatas, a ilha parece um conto de fadas. O nome “Flores” foi dado à ilha devido à sua abundante e exuberante florestação.

Ver mais Ver menos

Geografia

É a segunda ilha que faz parte do grupo ocidental, juntamente com o Corvo, com uma distância de apenas 18km, isto é, cerca de 35 minutos de barco. Tem 17km de comprimento e 12km de largura, com uma área total de cerca de 140m2. Cerca de 3 800 pessoas vivem na ilha.

Flores é também o ponto mais ocidental da Europa. O ponto mais alto das Flores é o Morro Alto, cerca de 911m acima do nível do mar.

 

História

A ilha das Flores foi descoberta na mesma época que a vizinha ilha do Corvo por navegadores portugueses, por volta de 1452. Devido ao seu afastamento das outras ilhas e dos continentes europeu e americano, povoar as Flores não foi uma tarefa fácil.

O povo flamengo foi o primeiro a ficar por aqui. Vieram de São Jorge por volta de 1480. Porém, devido ao isolamento geográfico da ilha, todos regressaram à ilha central. Só em 1508 é que a população começa a aumentar nas Flores.

A primeira freguesia foi Lajes das Flores, em 1515. Depois, Santa Cruz das Flores passou a ocupar o segundo lugar da lista, em 1548.

A vida é fácil e descontraída na ilha das Flores, no entanto, nos séculos XVI e XVII, os corsários atacaram a ilha. Como está idealmente localizada no meio do Atlântico, entre os dois grandes continentes, os corsários sempre estiveram por perto para roubar metais preciosos dos navios espanhóis que vinham da América e iam para a Europa.

Um século depois, a ilha tornou-se um ponto estratégico para os navios baleeiros americanos. A população local envolveu-se nesta prática e Flores viu surgirem os primeiros centros baleeiros, que ainda hoje são visíveis.

 

Economia

Nos primeiros séculos após o povoamento nas Flores, a produção de cereais foi significativa para a economia da ilha, assim como a ovinocultura e a pesca.

A baleação nas Flores também teve grande importância. Na década de 1930 registou-se um brutal aumento de capturas de baleia, tanto a nível local como internacional. Passou-se de 600 para 7393 baleias capturadas, em 1937. Naquele ano, só nas Flores, foram apanhadas 47 baleias. O património da caça à baleia está bem presente.

Em 1972, o aeroporto local foi inaugurado e os portos começaram a ficar em melhores condições, facilitando a integração das Flores em relação às restantes ilhas do arquipélago, bem como aos continentes americano e europeu.

Hoje, o setor dos serviços é vital para a ilha das Flores, assumindo cerca de 60% do emprego. O turismo está cada vez mais forte graças às belezas naturais da ilha.

 

Cultura e festividades

Uma festa é comum em todas as ilhas dos Açores: as Festas do Espírito Santo, de maio a setembro. As ruas são decoradas, há música ao vivo, as pessoas dançam e comem deliciosas comidas em barraquinhas de rua.

As Flores também têm a sua própria festa: a Festa do Emigrante, em julho. Este evento é uma homenagem à população local que teve que deixar a ilha para reconstruir a sua vida noutras ilhas, ou na América ou na Europa à procura de melhores condições de vida. No entanto, felizmente  muitos deles costumam voltar para esta festa. É uma celebração muito feliz para os habitantes locais se encontrarem novamente com as famílias e amigos.

No dia 24 de junho celebra-se o São João, festa religiosa popular e tradição da ilha Terceira que se manteve e se instalou nas Flores durante séculos.

Em termos de cultura, o Centro de Interpretação Ambiental do Boqueirão é o local perfeito para recuar no tempo e perceber como e onde se armazenava o óleo proveniente da baleia, ver botes e utensílios usados na altura da baleação. Um espaço dedicado à eternização do cachalote e ao interesse ambiental da ilha das Flores. Já foi destaque em vários sites e revistas da especialidade.

Também é interessante visitar o Museu das Flores em Santa Cruz para ter uma visão geral da ilha. Aqui pode testemunhar a importante relação dos locais com o oceano e a terra, graças às diversas coleções.

 

Natureza e Geologia

No Flores, existem tantos lugares para ver que pode não saber por onde começar. A diversidade de paisagens é simplesmente incrível.

Há seis geossítios prioritários na ilha das Flores. Locais de extrema importância com valor científico, educacional ou turístico. São disso exemplo as lagoas localizadas em caldeiras vulcânicas. Vale cada passinho que se dá para apreciar as vistas panorâmicas das Caldeiras Comprida, Negra, Seca, Branca, Rasa e Funda.

As Flores estão repletas de características geológicas interessantes. A Rocha dos Bordões também faz parte deste leque de Geossítios prioritários na ilha das Flores. Tal como o nome indica, a Rocha dos Bordões, é uma magnífica montanha constituída por enormes colunas rochosas, que lembram bordões feitos de pedra, com cerca de 20m de altura. Está bem preservada, se tivermos em conta a idade da escoada lávica, de aproximadamente 570.000 anos.

São Jorge não é a única ilha com Fajãs. O Pico da Sé, a Ponta da Rocha Alta e a Fajã de Lopo Vaz são fajãs detríticas formadas por desmoronamentos das altas arribas. Locais de extrema beleza e do melhor para quem gosta de trilhar caminhos pedestres.Fajã Grande e Fajãzinha são de cortar a respiração. Imagine uma arriba com cerca de 300 metros de altura e daí brotarem inúmeras quedas de água. É um cenário idílico! Não admira, a esplendorosa ilha das Flores estar entre os destinos mais incríveis e escondidos.

As Flores têm algumas das mais gigantescas quedas de água do arquipélago. Desde o planalto central da ilha, as cascatas alimentam os famosos Poço do Bacalhau e Poço da Alagoinha ou Lagoa das Patas. Aqui, a envolvência humana com a natureza ganha uma dimensão indiscritível. É impossível não ficar boquiaberto, por exemplo, com os 90m de altura da cascata do Poço do bacalhau ou das dezenas quedas de água que compõem o Poço da Alagoinha.

Existem também muitos ilhéus. Aprecie a vista desde vários miradouros e descubra a ilha vizinha, tão perto daqui. Experimente as várias piscinas naturais e algumas praias para aproveitar o sol e as águas com temperaturas muito agradáveis.

 

Experiências

Se a sua praia é aventura e gosta de praticar canyoning e ou mergulho, a ilha das Flores deve ser a sua primeira paragem! Aqui já se reuniram centenas de praticantes em vários encontros internacionais de canyoning. Já para os amantes de mergulho, elegemos o ilhéu do Garajau, um berço para grandes cardumes de peixe-porco. Já no ilhéu de Monchique pode observar peixes de maiores dimensões como meros, e ainda as magníficas formações rochosas da Gruta do galo – um inesquecível mergulho numa gruta.

Os passeios de barco também são uma ótima opção para explorar a costa selvagem das Flores. Entre interessantes formações rochosas, arcos, fendas, grutas escondidas e cascatas que vão diretamente para o oceano, não saberá para onde olhar com tanta beleza!
Não se esqueça de tirar um tempo para relaxar numa das piscinas naturais e praias. Recomendamos levar um tubo de snorkel e uma máscara, porque a água transparente é perfeita para observar peixes. Nas Flores também há passeios de observação de baleias e golfinhos. E a pesca é uma prática popular. Há ribeiras cheias de trutas.
Na ilha é possível observar diversas espécies de aves, tanto nativas como migratórias.
Além disso, existem muitos trilhos para explorar, podendo mesmo caminhar por quase toda a ilha graças à Grande Rota das Flores. Tem cerca de 50km de extensão, com 18h de caminhada. Claro, em vários dias.

 

Gastronomia

Como as ilhas ocidentais são mais isoladas, os habitantes locais sempre produziram grande parte de sua própria comida.

A pesca e a criação de gado sempre foram muito populares. Há o famoso cozido de porco, acompanhado de batata, repolho ou inhame. Frutos do mar frescos também são deliciosos. Os locais fazem tortas ou omeletas com algas marinhas. Atum assado e ensopados de congro também são imperdíveis.

As sopas são frequentes nos cardápios dos restaurantes.

O saboroso queijo de pasta mole da ilha das Flores é exportado para todo o arquipélago.

Graças ao clima único da Ilha das Flores, pode encontrar muitas frutas exóticas, como diferentes tipos de goiabas, que fazem excelentes compotas.

HIGHLIGHTS DA ILHA DAS FLORES

  • Escalada de Cascatas

    A ilha das Flores apresenta uma grande densidade de cursos de água e de cascatas que a transformaram num destino preferido para os praticantes de canyoning.

  • Destino Privilegiado de Mergulho

    Há águas azuis cristalinas, abundância de fauna subaquática e forte probabilidade de observar grandes peixes pelágicos.

  • Fãs de Trilhos

    Um dos percursos pedestres mais procurados é o trilho ao longo da escarpa da costa noroeste, Ponta Delgada-Fajã Grande, um trilho com imensa beleza!

  • Pontos Turísticos em Ilha das Flores

    Atrações a não perderIlha das Flores

    Back to the navigation

    Subscreva a Nossa Newsletter

    para receber as nossas Novidades e Ofertas